02 Jun 2020


Sabesp e Prefeitura de SP construirão 10 lavatórios no Centro

Publicado em Cidades
Avalie este item
(0 votos)

Uma parceria entre Sabesp e Prefeitura de São Paulo vai construir 10 lavatórios em diferentes pontos do Centro da cidade para que a população possa lavar as mãos. A ação é mais uma medida adotada no combate à COVID-19. A previsão é que todos os equipamentos já estejam em funcionamento nesta semana. O primeiro foi implantado, na quarta (25), na Praça da Sé.

A Sabesp é responsável por montar a parte hidráulica dos lavatórios e a Prefeitura constrói toda a estrutura. Lavar as mãos é uma das formas de prevenção contra vírus. A construção desses equipamentos tem o objetivo de ajudar a população a manter os hábitos de higienização, inclusive na rua.

Os lavatórios serão implantados nos seguintes endereços: Praça Ouvidor Pacheco; Largo São Bento; Largo do Paissandu; Pátio do Colégio; Praça da República; Largo do Arouche; Parque Dom Pedro II; Largo General Osório; e Praça da Liberdade.

 Ações contra o coronavírus

A Sabesp já anunciou algumas medidas para auxiliar a população nesse momento. A Companhia está isentando do pagamento das contas de água e esgoto os clientes das categorias de uso Residencial Social e Residencial Favela. A ação é válida para todas as cidades do Estado operadas pela Sabesp, aproximadamente 2 milhões de pessoas que já têm o benefício serão atendidas pela medida, que vai valer por três meses (abril, maio e junho) para contas emitidas a partir de 1º de abril de 2020.

A Companhia também vai distribuir 1.200 caixas-d’água para moradores de Paraisópolis que ainda não tenham o reservatório em seu imóvel. Isso vai prevenir que as pessoas fiquem sem água em momentos em que sejam necessários reparos emergenciais ou manutenções preventivas na rede de abastecimento.

A ação ocorre para reduzir o impacto da pandemia COVID-19 na rotina dos cidadãos e ocorrerá em Paraisópolis em razão de sua característica topográfica. Trata-se de um bairro altamente adensado com partes altas, onde a água pode demorar mais tempo a chegar até os imóveis.

A distribuição de caixas-d’água é uma medida que já foi adotada anteriormente pela Sabesp para ajudar moradores a se adaptarem à regra da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), segundo a qual os domicílios devem ter caixa-d’água que seja capaz de suprir o abastecimento dos moradores por ao menos 24h.

Outra medida implementada, também em parceria com a Prefeitura de São Paulo, é a ampliação da água de reuso. Por causa do coronavírus, a Sabesp está aplicando mais cloro para garantir mais eficiência no processo de higienização. A água de reuso é produzida nas estações de tratamento de esgoto (ETEs) – portanto, não serve para o consumo – e está sendo utilizada pela prefeitura na limpeza urbana, como ruas, trechos em frente de hospitais, pontos de ônibus e após feiras livres.

Outra medida implementada é o aumento no volume de cloro aplicado na água de reuso, usada na limpeza urbana, para garantir mais eficiência no processo de higienização. A água de reuso é produzida nas estações de tratamento de esgoto (ETEs) – portanto, não serve para o consumo – e está sendo utilizada pela Prefeitura de São Paulo na limpeza de ruas, trechos em frente de hospitais, pontos de ônibus e após feiras livres.

Última modificação em Quinta, 26 Março 2020 10:46
Folha Do ABC

A FOLHA DO ABC traz o melhor conteúdo noticioso, sempre colocando o ABC em 1º lugar. É o jornal de maior credibilidade da região
Nossa publicação traz uma cobertura completa de tudo o que acontece na região do ABCDM.

Visite-nos no Facebook

Main Menu

Main Menu